Aguarde, carregando...

Artigos de BLOG

USUÁRIO DE DROGAS: COMO IDENTIFICAR, DIFICULDADES E TRATAMENTO

Em 23/11/2021 por Clínicas Reset Prime Reabilitação em Dependência Química Alcoolismo e Psiquiatria


https://www.clinicasresetprime.com.br/blog/usuario-de-drogas-como-identificar-dificuldades-e-tratamento/

Usuário de drogas: Como identificar, dificuldades e tratamento

Quando se fala no termo usuário de drogas, provavelmente pode vir a sua mente a imagem de uma pessoa em situação de rua, sujo, submisso aos vícios e outras mazelas.

Embora esses casos realmente existam, a maioria dos usuários vive a vida normalmente que nem você, pelo menos por certo tempo.

Pode ser difícil identificar um usuário, até porque não há um perfil definitivo para isso, por mais que você tenha uma visão sobre eles.

O mais provável é que seja uma visão estigmatizada baseada nas experiências que você teve durante a vida, mas é importante saber que o usuário nem sempre corresponde a essa imagem mental que você criou dele.

Por isso mesmo, é importante ficar alerta, pois pessoas que fazem parte do seu círculo e que mantêm uma relação próxima podem estar com problemas com drogas e você nem sabe disso.

O que é um usuário de drogas e o que leva ao uso?

Do ponto de vista legal e de acordo com o artigo 28 da lei 11.343/2006, um usuário de drogas é todo e qualquer indivíduo que quando não autorizado ou incompatível com leis ou regulamentos, tem a posse de drogas para consumo pessoal, armazenamento, transporte ou quaisquer outros fins.

Tal termo, apenas ressalta a marginalização de um problema de saúde pública.

Ser usuário de drogas carrega um estigma de malandragem e um peso social muito grande em cima do indivíduo.

Temos ciência que ele está cometendo um delito, por utilizar algo ilícito, porém é necessário entender que diversos fatores levam ao ato.

Normalmente, o uso de drogas se dá pela rejeição familiar e social; pela curiosidade ou necessidade de se sentir pertencente a um grupo ou a algo; desejo por novos sentimentos; ou o início da criação de uma outra realidade.

Depois disso, se um indivíduo fica satisfeito com o uso, geralmente consome quando tem oportunidade.

Sem se preocupar com as consequências ou adversidades decorrentes do uso, e no processo nocivo a saúde física, mental, emocional, social e para quem acredita no adoecer espiritual.

Esses usuários podem ser homens ou mulheres sem distinções da etnia, classe social, gênero ou até mesmo o credo. Eles estão nas famílias, nos escritórios, nas indústrias, nas avenidas, ruas, vielas, mansões, bares, pontos de vendas de drogas, enfim, seja ele um membro produtivo da sociedade ou não.

Como identificar o usuário de drogas e quais os seus comportamentos?

Os usuários de drogas recreativos se relacionam com substâncias de forma esporádica, casual ou social.

Inicialmente, sem grandes prejuízos a si ou a terceiros. Entretanto é sempre pertinente avaliar quais são os riscos e observar alguns comportamentos característicos.

Usuários abusivos de drogas são aqueles que aumentam de forma considerável o uso de drogas sem se preocupar com o risco de consequências prejudiciais.

De acordo com a Classificação Internacional de Doenças (CID), o termo “uso prejudicial” é um termo que causa danos físicos ou mentais.

No Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM), “abuso” também inclui consequências sociais. As drogas que alteram o estado ou capacidade mental do ser humano são chamadas de substâncias psicoativas (SPA).

Devido as atuações é possível dizer que a mudança entre o uso e abuso pode ser muito rápido pela percepção da família, por isso é importante ficar atento aos sinais listados abaixo:

  • Mentir, mesmo quando é mais fácil dizer a verdade;
  • Culpar os outros, sabendo que não são culpados;
  • Ritualizar o seu comportamento;
  • Afastar-se dos outros.

Essa relação entre o indivíduo e cada substância psicoativa pode variar conforme a situação e é inofensiva ou quase isenta de riscos.

Mas também pode levar ao uso disfuncional grave e causar prejuízos biológicos, psicológicos e sociais.

Infelizmente, na maioria das vezes, os familiares, cônjuges ou amigos mais próximos do usuário, são os últimos a saberem que seu ente querido, está se relacionando com as drogas e comumente é devido aos problemas ocasionados com o uso recreativo ou abusivo de substâncias.

Durante as diversas experiências com as substâncias psicoativas, como também o passar do tempo e a continuidade do ciclo de uso, o usuário sofre diversas modificações físicas, mentais e principalmente comportamentais.

Alterações no humor e comportamento, são os primeiros sinais do abuso das drogas por uma pessoa.

Ela pode se tornar mais introvertida, introspectiva e até mostrará sinais de culpa, depressão profunda ou tristeza, a intolerância, irritabilidade, ansiedades excessivas, baixo desenvolvimento acadêmico, profissional, desinteresse pelas atividades familiares ou sociais, o isolamento, baixa crítica, entre outras disfuncionalidades.

As consequências de ser um usuário de drogas?

É impossível afirmar que não há uma relação com drogas sem qualquer tipo de perda ou prejuízo, por isso devemos estar atentos às consequências decorrentes do uso de substâncias psicoativas a médio e longo prazo, no intuito de prevenir e fazer as intervenções necessárias para você ou para o seu ente querido.

A médio prazo é comum identificar algumas alterações físicas e comportamentais como:

  • Perda ou aumento de peso;
  • Problemas dermatológicos;
  • Problemas odontológicos;
  • Alterações na qualidade do sono
  • Mudança de bruscas de hábitos alimentícios;
  • Alterações nos sentidos;
  • Desinteresse por atividades sociais e familiares que não possuam relação com uso de drogas;
  • Desinteresse pela área profissional;
  • Alterações bruscas de humor;
  • Pensamentos e tendências suicidas;
  • Síndrome do pânico e transtorno de ansiedade generalizada
  • Esquizofrenia, delírios e surtos psicóticos, entre outros transtornos mentais.

O usuário de drogas que já tem pré-disposições orgânicas e genéticas a doenças mentais com o abuso das substâncias pode potencializar esses danos.

Além dos prejuízos em relação à saúde física e mental, o usuário de drogas também está sujeito às mais diversas transgressões que acarretam detenções ou prisões em instituições penais ou até mesmo a morte.

Já a longo prazo, as consequências são mais severas e muitas vezes irreversíveis. Hepatologias, como hepatites ou câncer no fígado, doenças degenerativas, doenças respiratórias, estomacais, doenças sexualmente transmissíveis, diversos transtornos mentais, sendo o resultado final a morte.

O curto, médio ou longo prazo, o uso de drogas causa consequências traumáticas, dolorosas e tem como característica principal ou resultado a degradação moral, física, emocional e se você acredita, a falência espiritual.

O usuário de drogas é considerado uma pessoa doente?

Não necessariamente, como visto no tópico sobre identificar um usuário de drogas, muitos usuários fazem o uso recreativo das drogas, o que não é recomendado, mas esse uso esporádico não é considerado doença, porém esse uso por tempo prolongado e/ou de forma abusiva pode levar a doença da dependência química.

Embora seja verdade que a droga traz muitos malefícios ao corpo humano e pode deixar marcas, nem todos chegam a se manifestar pois depende da forma e do tempo em que usou, mas mesmo o usuário recreativo pode desenvolver algum transtorno associado ou aumentar as chances de desenvolver um.

Qual a diferença entre um usuário de drogas e um dependente químico?

Esta é uma dúvida constante nas famílias e na sociedade como um todo.

Podemos observar que o usuário casual de drogas ainda está consumindo sem qualquer indicação de dependência ou abstinência, pode escolher o melhor local para consumir, o melhor horário, pode até ficar sem a droga que não vai afetar ou interferir em suas atividades.

Já o dependente químico não possui controle da quantidade do uso ou da sua própria vida. Seu principal foco é no uso de drogas e a forma de como obter mais uma dose, até mesmo antes de finalizar o consumo da substância que ainda possui.

Vivem para usar e usam para viver.

Quanto tempo leva para um usuário de drogas se tornar um dependente químico?

Esse processo por muitas vezes é rápido e não há como precisamente dizer quando a dependência começou, afinal ela não acontece da mesma forma para todas as pessoas.

Há fatores que influenciam nessa passagem, como qual a droga que está sendo utilizada, frequência de uso, modo de uso, se possui predisposição genética ou não, assim como se houve uso precoce ou não (uso durante infância ou adolescência).

Pessoas com dependentes químicos na família têm uma maior chance de desenvolver a doença, seja pela influência social ou pelo fator genético, também.

Além disso, há drogas naturalmente mais potentes que outras. Dependendo de qual esteja a fazer uso a pessoa pode se tornar um dependente mais rápido, a exemplo disso a heroína e o crack que podem gerar dependência em seus primeiros usos.

A frequência de uso e o modo de uso também são importantes.

Qual é a importância do tratamento de um usuário de drogas em uma clínica especializada?

Atualmente, existem diversas metodologias e abordagens para o tratamento de usuários de substâncias psicoativas e para o tratamento da dependência química, embora nem todas as metodologias e abordagens sejam eficientes.

Por isso, é de suma importância que as instituições que ofertam esses serviços estejam devidamente licenciadas, credenciadas, com profissionais qualificados e com total aptidão para exercer as atividades necessárias para a aplicabilidades das abordagens e metodologias, que atendam às necessidades de cada paciente, para a recuperação se torne uma realidade para cada indivíduo.

Então, antes de tudo é muito importante conhecer a clínica e saber se ela é confiável, antes de iniciar o tratamento do usuário de drogas, pois do contrário poderá trazer prejuízos ainda maiores ao paciente.

A clínica especializada deve oferecer ao dependente químico um acolhimento estruturado, a partir do qual ele possa se manter motivado para enfrentar a compulsão, as crises de abstinência e o surgimento de novas perspectivas.

A importância da clínica é desenvolver práticas que conduzam a uma vida mais saudável e que ofereça oportunidades.

Muitas vezes, a família pode ficar receosa em se afastar do paciente, como se estivesse o abandonando. Mas é justamente o contrário! Você está oportunizando a ajuda profissional que ele tanto precisa para se recuperar.

Além disso, é até recomendado que os amigos e familiares possam realizar visitas e mostrar que estão lá para dar todo o apoio necessário.

É um processo conjunto de transformação, para o qual cada um cumpre um papel importante.

Quais são os métodos e prazos de tratamento para reabilitação de um usuário de drogas?

À medida que o aumento de casos de usuários de drogas vem crescendo na sociedade, os modelos de tratamento também vêm se diversificando e crescendo.

Alguns pontos que podemos destacar são:

– Grupos de Apoio;

– Psicoterapia;

– Internação Voluntária;

– Internação Involuntária;

– Internação compulsória.

Como o usuário de drogas pode lidar com a abstinência durante o tratamento?

Naturalmente, durante o processo de tratamento a primeira etapa é a desintoxicação, que consiste em levar o dependente a ficar em abstinência para limpar os efeitos e o restante da droga no corpo, para que possa se dar início ao tratamento.

Esse processo deve ser feito sobre acompanhamento médico, para que os efeitos adversos da abstinência não se manifestem de forma muito forte e não causem danos ao paciente.

Para um melhor acompanhamento médico e 24h, assim como uma equipe de saúde multidisciplinar é aconselhável buscar uma clínica de recuperação.

Dessa forma, para lidar com os sintomas da abstinência podem ser usados remédios específicos para cada abstinência de droga como também terapias em sintomas menores, quem verifica essa necessidade é a equipe médica.

Quais são os principais desafios no tratamento do vício de drogas?

O dependente químico tem dificuldade em aceitar a sua realidade, em aceitar seu vício e admitir que precisa de ajuda, essa negação prejudica o andamento do tratamento ou o início do tratamento.

Além da negação, outro problema frequente é a vergonha, que pode atrapalhar em muito a busca por ajuda ou a entrega no tratamento.

A vergonha acontece por conta do medo que a pessoa tem de sofrer repressão de sua família, conhecidos e da sociedade.

A falta de apoio familiar pode ser um problema gravíssimo, pois, se o paciente não tiver onde se apoiar, dificilmente conseguirá enfrentar os desafios do tratamento.

Além de todos esses desafios, o dependente químico precisa superar os seus pensamentos internos que querem voltar a usar a droga, já que seu corpo dependeu dela para realizar suas ações mais básicas.

Por isso, o maior desafio é a eterna luta contra si mesmo.

O papel dos familiares e amigos no tratamento de um usuário de drogas?

Os familiares e os amigos têm papel fundamental no tratamento.

O dependente químico é uma pessoa doente como qualquer outra, você abandonaria alguém com uma doença crônica ou deixaria de apoiar essa pessoa? Acredito que não!

Sei bem que muito provavelmente o dependente machucou diversas pessoas e causou sofrimento para aqueles próximos. Não estamos pedindo para esquecer o que ele fez.

Porém, tente dar mais uma chance para ele se recuperar e fazer diferente.

Durante o processo de tratamento é importante não julgar ou dar sermões, procure sempre incentivar.

É importante ser firme para impor limites, contudo sem menosprezar ou julgar a pessoa durante o processo.

Pratique a empatia trate-o como gostaria de ser tratado se estivesse em uma situação de vulnerabilidade e precisasse de ajuda.

Conclusão

O usuário de drogas sempre será um dependente químico em potencial.

Para que isso não aconteça, é importante que cada vez mais as pessoas conheçam e entendam a realidade que as drogas trazem.

Essa ação gera um ciclo que se não for parado levará à dependência, que trará comorbidades como a depressão e a ansiedade e a uma degradação da vida da pessoa em todos os âmbitos.

Costumamos a dizer que o dependente químico ativo só pode ter três caminhos; a internação e assim há uma chance de recuperação; a prisão, em virtude de que vários dependentes cometem crimes para saciar seu vício; ou mesmo a morte, seja por conta da droga como overdose, AVC, parada cardíaca ou por dívidas e ações ligadas a ela.

Então na dúvida, se notar algum sinal de dependência num amigo ou familiar, não hesite e procure ajuda.


Comentários